Maçom Bento Gonçalves da Silva

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Maçom Bento Gonçalves da Silva

Você sabe quem foi Bento Gonçalves da Silva? Ele foi um dos maiores líderes da história do Brasil, e um dos principais personagens da Revolução Farroupilha, a mais longa e sangrenta guerra civil do país. Mas ele também foi um maçom, um membro de uma sociedade discreta que defendia os ideais de liberdade, igualdade e fraternidade. Neste artigo, você vai conhecer mais sobre a vida e a obra desse homem extraordinário, que marcou a história e a cultura do Rio Grande do Sul, e que é considerado um herói nacional. Acompanhe!

A origem e a formação de Bento Gonçalves

Bento Gonçalves da Silva nasceu em 1763, em São Pedro do Rio Grande do Sul, uma vila que hoje faz parte do município de Triunfo. Ele era filho de Manuel Gonçalves da Silva e Maria Tomásia de Jesus, uma família de fazendeiros e militares. Ele teve uma educação básica, mas se destacou pela inteligência e pelo espírito de liderança.

Em 1780, ele ingressou na carreira militar, seguindo os passos de seu pai e de seu irmão. Ele participou das guerras cisplatinas, que envolveram o Brasil, Portugal, Espanha e as Províncias Unidas do Rio da Prata, pelo controle da região do atual Uruguai. Ele se tornou um oficial respeitado e experiente, chegando ao posto de coronel em 1821.

Em 1824, ele foi eleito deputado provincial pelo Rio Grande do Sul, iniciando sua trajetória política. Defendia os interesses dos estancieiros gaúchos, que sofriam com a alta carga tributária e a falta de autonomia imposta pelo governo imperial. Se opunha à escravidão, e defendia a abolição gradual dos escravos.

Ele se tornou um dos líderes do Partido Liberal, que lutava por mais liberdade e federalismo no Brasil. Se filiou à maçonaria, uma sociedade discreta que reunia homens ilustres que compartilhavam dos mesmos ideais. Foi iniciado na Loja União, em Porto Alegre, em 1827, e depois fundou a Loja Independência, em Pelotas, em 1831. Ele chegou ao grau de Mestre Maçom, e foi um dos responsáveis pela organização da maçonaria na fronteira sul do Brasil.

A influência da maçonaria na vida e na obra de Bento Gonçalves

A maçonaria foi uma das principais fontes de inspiração e apoio para Bento Gonçalves. É uma sociedade discreta que reúne homens livres e de bons costumes, que buscam o aperfeiçoamento moral, intelectual e espiritual, através de rituais, símbolos e ensinamentos. Também defende os princípios de liberdade, igualdade e fraternidade, e se envolve em causas sociais, políticas e humanitárias.

Iniciação

Bento Gonçalves foi iniciado na maçonaria em 1827, na Loja União, em Porto Alegre. Ele logo se destacou pela sua liderança, eloquência e carisma, e foi eleito Venerável Mestre da loja em 1829. Ele também fundou a Loja Independência, em Pelotas, em 1831, e foi um dos responsáveis pela organização da maçonaria na fronteira sul do Brasil.

Influência

A maçonaria influenciou Bento Gonçalves em vários aspectos. Em primeiro lugar: ela fortaleceu os seus ideais liberais, federativos e republicanos, que eram compartilhados por muitos maçons da época. Segundo lugar: ela lhe proporcionou uma rede de contatos e de apoio, que incluía maçons de outras províncias e países, como José Garibaldi, Giuseppe Mazzini e Simón Bolívar. Terceiro lugar: ela lhe deu uma visão mais ampla e humanista do mundo, que o levou a se opor à escravidão e a defender a abolição gradual dos escravos.

Revolução Farroupilha

A maçonaria também teve um papel fundamental na Revolução Farroupilha, que foi liderada por Bento Gonçalves. A Revolução Farroupilha foi um movimento separatista que ocorreu entre 1835 e 1845, no Rio Grande do Sul, contra o governo imperial do Brasil. Os revoltosos, chamados de farrapos, reivindicavam mais autonomia, menos impostos e mais participação política. Eles também defendiam a proclamação de uma república federativa, inspirada nos modelos dos Estados Unidos e da França.

A maçonaria foi a principal articuladora e financiadora da Revolução Farroupilha. Muitos dos líderes e combatentes do movimento eram maçons, como Bento Gonçalves, Antônio de Souza Neto, Domingos José de Almeida, Giuseppe Garibaldi, entre outros. Eles usavam os símbolos e as palavras de ordem da maçonaria, como o triângulo, o compasso, a estrela, a divisa “Liberdade, Igualdade e Humanidade”, e o lema “Ou ficar a pátria livre, ou morrer pelo Brasil”. Eles também contaram com o apoio de lojas maçônicas de outras regiões e países, que enviaram recursos, armas e voluntários para a causa farrapa.

O papel de Bento Gonçalves na Revolução Farroupilha

Maçom Bento Gonçalves da Silva

Bento Gonçalves foi o principal líder da Revolução Farroupilha. Ele foi o responsável por planejar, organizar e comandar as ações dos revoltosos, que ficaram conhecidos como farrapos.

A Revolução Farroupilha teve início em 20 de setembro de 1835, quando os farrapos tomaram a cidade de Porto Alegre, a capital da província. Bento Gonçalves foi aclamado como presidente da República Rio-Grandense, o estado independente que os farrapos proclamaram. Ele também foi o comandante-em-chefe do Exército Republicano, formado por estancieiros, tropeiros, gaúchos, negros, índios e imigrantes.

Bento Gonçalves enfrentou diversas dificuldades durante a Revolução Farroupilha. Teve que lidar com a resistência das tropas imperiais, que eram mais numerosas e bem equipadas. Também teve que superar as divergências internas entre os farrapos, que tinham diferentes interesses e visões políticas. Ainda foi preso duas vezes pelos inimigos, em 1836 e em 1839, mas conseguiu fugir e retomar o comando da revolução.

Bento Gonçalves foi o principal articulador das negociações de paz com o Império, que se iniciaram em 1842. Ele defendia uma solução pacífica e honrosa para o conflito, que preservasse os direitos e as conquistas dos farrapos. Ele foi o signatário do Tratado de Ponche Verde, em 1º de março de 1845, que pôs fim à Revolução Farroupilha. O tratado reconhecia a anistia, a incorporação e a igualdade dos farrapos ao Império, além de conceder algumas vantagens econômicas e políticas aos gaúchos.

Bento Gonçalves foi o grande herói da Revolução Farroupilha, e um dos maiores líderes da história do Brasil. Demonstrou coragem, determinação, patriotismo e generosidade. Lutou por um ideal de liberdade, justiça e democracia. Ele deixou um legado de honra, glória e inspiração para as gerações futuras.

Conclusão

Neste artigo, você conheceu mais sobre a vida e a obra de Bento Gonçalves da Silva, um dos maiores líderes da história do Brasil, e um dos principais personagens da Revolução Farroupilha. Você também viu como a maçonaria influenciou os seus ideais, as suas ações e o seu legado.

Bento Gonçalves foi um homem extraordinário, que lutou por um ideal de liberdade, justiça e democracia. Ele foi um maçom, um militar, um político, um republicano, um abolicionista, um herói e um mártir. Ele marcou a história e a cultura do Rio Grande do Sul, e é considerado um símbolo nacional.

Esperamos que você tenha gostado deste artigo, e que tenha aprendido mais sobre esse personagem fascinante. Se você quiser saber mais sobre a maçonaria, a Revolução Farroupilha, ou outros temas relacionados, continue acompanhando o nosso blog. Temos muitos outros conteúdos interessantes para você. Até a próxima!

Fontes bibliográficas

  • https://www.sohistoria.com.br/biografias/bentogoncalves/
  • https://pt.wikipedia.org/wiki/Bento_Gon%C3%A7alves_da_Silva
  • https://www.recantodasletras.com.br/biografias/238893
Jacimar Silva
Últimos posts por Jacimar Silva (exibir todos)

Fazer comentário