Jornalista recebe cadeira em academia literária e pede troca de patrono por Carolina Maria de Jesus

Jéssica Balbino assume cadeira de número 31 após pedir troca de patrono por autora negra brasileira

A jornalista e escritora  Jéssica Balbino, assume, nesta quinta-feira (20) a cadeira de número 31 na Academia Poços-Caldense de Letras. A cerimônia será às 20h no Espaço Cultural da Urca, em Poços de Caldas (MG) com entrada gratuita.

Jéssica Balbino recebe cadeira de número 31 na Academia Poços-Caldense de Letras (foto: Gustavo Rodrigues)

A jornalista que é autora dos livros Pelas Margens (no prelo), Traficando Conhecimento (Editora Aeroplano, 2010) e a reportagem “Hip-Hop – A Cultura Marginal” (Independente, 2006) – este último premiado pelo Ministério da Cultura (Minc) em 2010 – e também de participações em antologias e artigos em revistas e livros acadêmicos, recebeu como patrono o autor Érico Verríssimo, mas pediu a troca para uma patronesse e sugeriu a escritora Carolina Maria de Jesus.

“Eu adoro o Érico Veríssimo, mas tenho um trabalho que busca justamente a visibilidade e a valorização das escritoras brasileiras e a Carolina Maria de Jesus tem uma obra de qualidade inegável, além de ter sido uma precursora no que pesquiso, que é a literatura marginal/periférica. Senti que devia este reconhecimento a figura dela, que recentemente passou também a integrar a lista de leituras obrigatórias para o vestibular da Unicamp com o livro Quarto de Despejo, traduzido para mais de uma dezena de idiomas”, disse a jornalista.

Ela recorda-se também da recente polêmica na Academia de Letras do Rio de Janeiro, quando o professor de literatura Ivan Cavalcanti Proença, que disse que a obra de Carolina “não pode ser considerada literatura”.  O caso aconteceu no dia 17 de abril deste ano.  A poeta e atriz Elisa Lucinda, na ocasião, protestou e citou trechos do livro “Quarto de Despejo” para argumentar contra a fala do professor.

“Entendo que é desrespeitoso quando um professor de literatura, durante uma homenagem, tenta deslegitimar uma autora que foi uma das mais importantes do último século e que inspira, muitos anos depois de sua morte, novos autores e principalmente as mulheres. Enquanto pesquisadora e jornalista, é meu dever também político fazer com que ela ocupe estes espaços, que só me são dados também porque um dia a li”, pontuou Jéssica Balbino.

Jéssica Balbino também possui um vasto trabalho na área da literatura, como o projeto Margens  que mapeou as autoras da literatura marginal e periférica do país, um documentário, de mesmo nome, que mostra quem são estas autoras e como elas produzem e se articulam, além de ser curadora de eventos literários no Sesc SP, Sesc MG, Itaú Cultural, entre outros e atuar como curadora do Encontro de Arte da Periferia no Flipoços desde 2009. Mais informações sobre o trabalho da jornalista podem ser vistos no site dela 

Na cerimônia de entrega das cadeiras, também recebem o título de imortais o jornalista João Gabriel Pinheiro Chagas e a assessora política Marina Rocha.

Serviço
O quê:
Posse na Academia Poços-Caldense de Letras
Quando: quinta-feira (20) às 20h
Onde: Espaço Cultural da Urca
Endereço: Praça Getúlio Vargas, s/n, centro.
Ingresso: gratuito

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s