“Fiel” narra as decisões de um adolescente que comanda o tráfico de drogas do RJ

Livro centraliza, ilustra e questiona o poder das escolhas, dentro e fora do tráfico “Fiel” não é um livro autobiográfico, mas poderia muito bem ter sido. Pelo menos, é o que dá a entender o autor Jessé Andarilho nos agradecimentos de seu romance de estreia. Escrito ao longo de dois anos durante viagens de trem no Rio de Janeiro, “Fiel” é um livro acelerado, que faz a gente repensar várias

Documentário "Pelas Margens" é exibido na Câmara Municipal de Poços de Caldas, MG

Filme independente de Jéssica Balbino será exibido no próximo dia 15 às 19h com entrada gratuita Parte das comemorações do Dia Internacional da Mulher – celebrado em 08 de março – a Câmara Municipal de Poços de Caldas exibe na próxima quinta-feira (15) ás 19h o documentário “Pelas Margens: vozes femininas na literatura periférica”, com direção e produção da jornalista poços-caldense Jéssica Balbino. A entrada é gratuita e após a

Filme de 66 minutos é uma produção independente da jornalista Jéssica Balbino, que pesquisa o tema Parte da série Deslocamentos, o Sesc Araraquara (SP) apresenta, nesta sábado (21) às 15h o documentário “Pelas Margens: vozes femininas na literatura periférica”, da jornalista Jéssica Balbino. A sessão é gratuita. O filme de 66 minutos foi feito de maneira independente e apresenta um recorte da participação feminina na literatura marginal/periférica brasileira nos últimos

Intervenção literária ocorre no evento “Raça Negra e Educação: 30 anos depois: E agora do que mais precisamos falar” O Sarau das Pretas se apresenta nesta terça-feira (22) às 13h45 no Seminário “Raça Negra e Educação – 30 anos depois: E agora do que mais precisamos falar” na Unifesp, em São Paulo (SP), levando a arte periférica para dentro da academia. A entrada é gratuita, porém as vagas são limitadas.

Ciclo Margens tem curadoria da jornalista Jéssica Balbino e do Núcleo de Audiovisual e Literatura do instituto; a proposta é ouvir os escritores e poetas, principalmente mulheres, que produzem a sua arte às bordas do circuito literário Todas as quartas-feiras do mês de julho, a partir do dia 12, sempre às 19h, o Itaú Cultural promove o Ciclo Margens para discutir a produção literária a partir das periferias brasileiras. Serão

Evento ocorre no sábado (22), tem entrada gratuita e terá microfone aberto para recital  Neste sábado (22) acontece o bate-papo “Rumos do Slam”  – slam é um campeonato de poesia falada – realizado pelo Slam da Guilhermina na Ocupação Cultural Mateus Santos com o slammaster Emerson Alcalde e os slammers Fabio Boca, Lews Barbosa e Lucas Afonso. Todos eles já disputaram a Copa do Mundo em Paris e vão falar

Elizandra Souza e Carmen Faustino falarão sobre o protagonismo de mulheres negras na literatura  No próximo sábado (15) as escritoras Elizandra Souza e Carmen Faustino dão o curso de formação “Mjiba – Semeando a Literatura Negra Feminina” no Sesc Jundiaí às 15h com entrada gratuita. A atividade é parte do ciclo Encontro de Autoras: Literatura Negra Periférica, que acontece durante todo o mês de abril na unidade, com “Expressões Afro

Coletivo realizou 15 intervenções durante o primeiro ano e planeja eventos e comemoração para março No próximo dia 12 de março o Sarau das Pretas completa 1 ano e prepara uma agenda com festas e comemorações especiais durante o mês de março em São Paulo (SP). No próximo dia 23 de março haverá uma apresentação comemorativa no Sesc Carmo, com participação do público e microfone aberto. Já no próximo dia

ponderações sobre o slam resistência e algo mais por Luiza Romão* talvez hoje, em são paulo, a literatura (através dos slams e saraus) seja um dos movimentos capazes de agregar e mobilizar mais pessoas. estamos nos bares, nas praças, nos terminais e nos trens, nas quebras e nos centros, nas noites e nos amanhãs, com versos engajados, ácidos, sem papas nas línguas. atacamos o status quo, as desigualdades de gênero,

Poeta é a primeira mulher a vencer a final do campeonato de poesia falada e representar o Brasil na França “Eu  queria ganhar, eu  me dediquei  para isso, eu  tenho  vivido  minha poesia diariamente. Nós mulheres negras merecemos o pódio, ontem  eu  trouxe o  troféu, mas tinha mais do  que o  meu  coração  pulsando  ali  em cima”,  disse Luz Ribeiro, de 28 anos, que desde 2012  frequenta os slams –