Com ironia, Letícia Brito destaca relação de consumo, machismo e poder ao corpo feminino no clipe “A poesia vai mudar o mundo”. Essa é a frase da poeta e slammer Letícia Brito, de 37 anos, ao encerrar uma entrevista ao Margens, no momento em que faço a preza e pergunto: “há algo que eu não perguntei, mas que você gostaria de dizer?” Pode soar utópico, mas não para uma mãe

Poetas realizaram coro contra abusos e apagamentos ocorridos no espaço e na cena dos saraus e slams Como forma de lutar contra os abusos e silenciamentos sofridos pelas mulheres em ambientes culturais – especialmente saraus e slams (batalhas de poesia falada), um grupo de cerca de 50 jovens se reuniu na última segunda-feira (3) no Slam Resistência, que ocorre na Praça Roosevelt, e fez um ato de resistência, com pelo

Poeta de 27 anos lançou neste ano o segundo livro ‘Negra Nua Crua’ e versa sobre etnia, erotismo e problemas sociais O Rio Poetry Slam, o primeiro campeonato de poesia falada internacional do Brasil, ocorre neste ano de 8 a 13 de novembro na Cidade de Deus – que completa 50 anos – durante a Festa Literária Internacional das Periferias (Flupp)  no Rio de Janeiro (RJ) e tem como representante

Eu nunca fui o estereótipo da beleza. Sempre fui gorda e vivi com tudo que esta palavra pode ser ou significar para um ser humano com um corpo, mas nunca fui burra. Alguns dizem que isso é uma forma de compensar a falta de atributos físicos dentro do patrão estético cultuado. Então, sempre fui gorda, inteligente e durante muito tempo, fui conveniente. Tinha mais amigos do que amigas e com