Intervenção literária, já! Conheça 10 poemas de luta escritos por mulheres

Reunimos poesias que falam de violência do estado e intervenção militar; todas elas, escritas por mulheres  Em tempos de greve, desabastecimento e pedidos de intervenção militar, nós criamos a lista “Intervenção literária, já!”, com 10 poemas de luta escritos por mulheres.  Há, nos textos, uma cronologia implícita do golpe aplicado à democracia brasileira. Aperta o play e vem conhecer esta outra narrativa,  vem sendo produzida às margens, com a força

Poetas contam como usam literatura para curar as cicatrizes no Flipoços

Convidadas figuram em diferentes listas dos melhores livros do ano e participam de bate-papo no festival O que a arte pode curar? Inspiradas nas próprias dores, cicatrizes e sangue, as poetas Lâmia Brito, Ryane Leão, Luiza Romão e Letícia Brito participam da mesa “entre cicatrizes e sangue: o que fica?” que acontece no dia 04 de maio às 16h no Encontro de Arte da Periferia, parte da programação da 13ª

nolombo doburro reúne escritoras em conversa em SP

Com a proposta de conversar  sobre literatura, o selo doburro realiza nesta terça-feira (27) ás 20h na Casa Elefante, em São Paulo (SP), a edição inaugural do evento nolombo do burro. A entrada é gratuita e neste primeiro encontro a escritora Luiza Romão convida Marília Garcia para uma conversa, debate e sarau. A mediação será com Daniel Minchoni, criador da editora. “O nolombo do burro é um encontro de autores

Conheça os livros escritos por mulheres e que inspiraram poetas, escritores, professores, jornalistas e leitores em 2017 “Nós não acreditamos em listas, mas que elas existem, existem”. Por isso, inspirado por listas participativas dos “melhores livros de 2017” como as do Livre Opinião, O Povo e Suplemento Pernambuco, o Margens convidou jornalistas, editores, curadores e poetas para indicarem as três melhores leituras do ano, escritas por mulheres. O levantamento traz

ponderações sobre o slam resistência e algo mais por Luiza Romão* talvez hoje, em são paulo, a literatura (através dos slams e saraus) seja um dos movimentos capazes de agregar e mobilizar mais pessoas. estamos nos bares, nas praças, nos terminais e nos trens, nas quebras e nos centros, nas noites e nos amanhãs, com versos engajados, ácidos, sem papas nas línguas. atacamos o status quo, as desigualdades de gênero,

Cento e vinte artistas reunidos num uníssono #foratemer! Artistas das sete artes e das muitas outras – literatura, cinema, dramaturgia, teatro, música, quadrinhos, artes plásticas – produziram e cederam obras especialmente para “GOLPE: antologia-manifesto”. Certos de que a arte é uma das mais intensas formas de resistência, os poetas Ana Rüsche, Carla Kinzo, Lilian Aquino e Stefanni Marion decidiram organizar a coletânea como forma de protesto, reunindo os simultâneos murmúrios descontentes,