Curso online 'meu corpo, minha biografia'

“Meu corpo, minha biografia”  O quanto nosso corpo é responsável pela nossa história? Como nossos movimentos e nosso corpo influenciam na nossa prática de escrita? Como os corpos aparecem e são tratados na literatura contemporânea? Como os corpos das mulheres são retratados? Como é fazer literatura a partir do corpo? Existe escrita curativa para este ponto de vista? Este curso apresenta formas de lidar com corpos, especialmente os gordos e

Poetas contemporâneas falam sobre oralidade e literatura no Sesc Pompeia

Mel Duarte, Letícia Brito e Tatiana Nascimento são as convidadas da edição de julho; curadoria é da jornalista Jéssica Balbino Na próxima quarta-feira (18) às 19h30 o Sesc Pompeia realiza a quinta mesa do projeto “Lá na laje: clube do livro sem livro” e recebe como convidadas as poetas Mel Duarte, de São Paulo (SP), Letícia Brito, do Rio de Janeiro (RJ) e Tatiana Nascimento, de Brasília (DF) para falar

Poetas contam como usam literatura para curar as cicatrizes no Flipoços

Convidadas figuram em diferentes listas dos melhores livros do ano e participam de bate-papo no festival O que a arte pode curar? Inspiradas nas próprias dores, cicatrizes e sangue, as poetas Lâmia Brito, Ryane Leão, Luiza Romão e Letícia Brito participam da mesa “entre cicatrizes e sangue: o que fica?” que acontece no dia 04 de maio às 16h no Encontro de Arte da Periferia, parte da programação da 13ª

Rio Poetry Slam ocorre entre 10 e 15 de novembro no morro do Vidigal, no Rio de Janeiro Começa nesta sexta-feira (10) a Festa Literária das Periferias (Flup) no morro do Vidigal no Rio de Janeiro (RJ) e neste ano, quem representa o Brasil no Rio Poetry Slam – primeira batalha internacional de poesia falada na América Latina – é a poeta Letícia Brito. Aos 38 anos, esta é a

Ação é gratuita, aberta a todos interessados e acontece às 19h do próximo domingo (10) Para ressaltar a importância da oralidade, a poeta e slammer Letícia Brito realiza no próximo domingo (10) a oficina “Poesia Falada” às 19h no pavilhão laranja D11. A entrada é gratuita e aberta a todos os interessados. Com a ação, Letícia Brito vai ensinar técnicas de spoken word/poetry slam, que adquiriu com a experiência em

Campeonatos de poesia falada unem-se em disputa na casa da porta amarela na quinta-feira (27)  Para celebrar a oralidade e autorrepresentação, ocorre nesta quinta-feira (27) às 19h o encontro entre o Slam das Minas SP e o Slam das Minas RJ, na casa da porta amarela, que fica na Praça do Rosário, atrás da igreja Matriz em Paraty (RJ) durante a 15ª edição da Feira Literária Internacional de Paraty, a

Dona Jacira e Letícia Brito são convidadas desta quarta-feira para conversa com Jéssica Balbino As narrativas femininas e como elas são construídas estarão em pauta nesta quarta-feira (19) ás 19h no Ciclo Margens, que acontece no Itaú Cultural, no centro de São Paulo e recebe como convidadas a poeta Letícia Brito, que vive no Rio de Janeiro e a bordadeira e contadora de histórias, Jacira Roque de Oliveira, que também

Com ironia, Letícia Brito destaca relação de consumo, machismo e poder ao corpo feminino no clipe “A poesia vai mudar o mundo”. Essa é a frase da poeta e slammer Letícia Brito, de 37 anos, ao encerrar uma entrevista ao Margens, no momento em que faço a preza e pergunto: “há algo que eu não perguntei, mas que você gostaria de dizer?” Pode soar utópico, mas não para uma mãe

Ciclo Margens tem curadoria da jornalista Jéssica Balbino e do Núcleo de Audiovisual e Literatura do instituto; a proposta é ouvir os escritores e poetas, principalmente mulheres, que produzem a sua arte às bordas do circuito literário Todas as quartas-feiras do mês de julho, a partir do dia 12, sempre às 19h, o Itaú Cultural promove o Ciclo Margens para discutir a produção literária a partir das periferias brasileiras. Serão