Ketty Valencio discute autoria de literatura negra brasileira na Flip, em Paraty

Bibliotecária e empresária na Livraria Africanidades, esta é a primeira vez que ela participa do evento A bibliotecária, livreira e pesquisadora Ketty Valencio participa, no próximo sábado (13) às 14h  do bate-papo “Aroko: olhares negros sobre difusão e autoria de literatura negra brasileira”, na Casa Poéticas Negras, durante a Festa Literária de Paraty, a Flip. Ela divide a mesa com a escritora Paloma França Amorim. A entrada é gratuita. Esta

Na Flip, Ocupa Beauvoir realiza ação e homenageia mulheres que morreram lutando pelos Direitos Humanos

Em parceria com o Barco Pirata e o podcast Rabiscos, Ocupa Beauvoir lança série artística de lambe-lambes interativos e podcast com cartas  Silenciar um movimento popular atirando de um avião ao mar, ainda viva, a mulher que o lidera, poderia muito bem ser o enredo principal de um esperado lançamento literário na Festa Literária de Paraty, a Flip deste ano. Mas não é. É a história real de Esther Ballestrino, fundadora da Associação

Com autoras negras, indígenas, internacionais e LGBTQi+, Lá na Laje retorna no Sesc Pompeia

Sob curadoria da jornalista Jéssica Balbino, clube literário anuncia autoras como Cidinha da Silva, Eliana Alves Cruz, Igiaba Scego, Futhi Ntshingila, Mirta Portillo, Porsha, entre outras   Depois de um ano de ações, sob curadoria da jornalista Jéssica Balbino, o clube Lá na Laje retoma as atividades no Sesc Pompeia a partir do dia 26 de junho às 19h30. Com o tema “Resistência, substantivo feminino”, o novo ciclo debate as formas

“Fiel” narra as decisões de um adolescente que comanda o tráfico de drogas do RJ

Livro centraliza, ilustra e questiona o poder das escolhas, dentro e fora do tráfico “Fiel” não é um livro autobiográfico, mas poderia muito bem ter sido. Pelo menos, é o que dá a entender o autor Jessé Andarilho nos agradecimentos de seu romance de estreia. Escrito ao longo de dois anos durante viagens de trem no Rio de Janeiro, “Fiel” é um livro acelerado, que faz a gente repensar várias

Casa Philos traz diversidade e latinidade para a Flip 2018

Casa da Revista Philos em parceria com a Editora Kazuá e Estante Virtual quer dar voz para a diversidade  Com o tema “Escrevendo nas margens: visibilidades e visualidades”, a Casa da Revista Philos na Flip traz ao cerne de suas discussões temas como literatura negra contemporânea, literatura LGBTQ+, cultura neolatina, artes visuais, diversidade, identidade e memória, patrimônio, economia criativa, mercado editorial e coesão social na Íbero-América. O projeto é uma

Conheça os livros escritos por mulheres e que inspiraram poetas, escritores, professores, jornalistas e leitores em 2017 “Nós não acreditamos em listas, mas que elas existem, existem”. Por isso, inspirado por listas participativas dos “melhores livros de 2017” como as do Livre Opinião, O Povo e Suplemento Pernambuco, o Margens convidou jornalistas, editores, curadores e poetas para indicarem as três melhores leituras do ano, escritas por mulheres. O levantamento traz

Campeonatos de poesia falada unem-se em disputa na casa da porta amarela na quinta-feira (27)  Para celebrar a oralidade e autorrepresentação, ocorre nesta quinta-feira (27) às 19h o encontro entre o Slam das Minas SP e o Slam das Minas RJ, na casa da porta amarela, que fica na Praça do Rosário, atrás da igreja Matriz em Paraty (RJ) durante a 15ª edição da Feira Literária Internacional de Paraty, a

Experimentar é fundamental para ser melhor. Tente por Jéssica Balbino* Quando eu era criança e alguém me oferecia, para comer, algo que eu não conhecia, tinha o hábito de dizer: não gosto! Minha mãe chamou a minha atenção várias vezes sobre isso. Ela diz: “como você sabe que não gosta, se ainda não experimentou?”. E claro, de tanto me dizer isso, me tornei o tipo de pessoa que arrisca, que