conto

Eu prefiro morrer do que engordar na quarentena

por Jéssica Balbino*  É claro que eu tenho medo de morrer. Mas que pergunta! Todo mundo tem, não? Ainda mais agora, com esse vírus por aí, né? Mas eu tomo cuidado. Desde que as baladas foram proibidas, eu não saí mais de casa. Ah, mas ir correr não é furar a quarentena, né? Eu preciso gastar energia, além disso, já não dá para fazer o crossfit, apesar de continuar pagando

10 autoras lésbicas marginais para você conhecer | Especial #DiaDaVisibilidadeLésbica

Em tempos de barbárie, é preciso contar histórias de esperança, amor e luta. É preciso reinventar as narrativas. Uma das maiores queixas simbólicas do universo LGBTQIA+ é a ausência de referências, em especial quando falamos em literatura. Quando falamos em literatura marginal feita por mulheres lésbicas então, os registros se tornam ainda mais escassos. Muito têm vindo à tona nos últimos anos. No entanto, pedimos à poeta tatiana nascimento e à

Armário de bagunça

Venho pensado muito sobre armários. Sobre sair deles. Sobre, às vezes, entrar mais do que sair. Sobre achar um cantinho confortável por lá, fazer amizade com a velha colcha de retalhos e se acostumar ao cheiro de guardado. Ficar. Abrir a porta do armário, atochar toda aquela confusão – de potes sem tampa, de lençóis de elásticos mal dobrados, de meias sem seus respectivos pares. Guardar tudo e fechar a