Diz que hoje é DIA DA MULHER. Qual mulher? - Poesia de Malu Jimenez

Diz que hoje é o DIA DA MULHER! Qual MULHER? A que leva seus filhos pra escola, dá banho, lava roupa, trabalha, faz comida, chora escondido, é perseguida na rua, sofre no transporte público? Sofre a noite quando ela não quer, mas você quer? Qual MULHER? A que não faz o estilo do corpo padrão? Que é gorda? Não entra na cadeira? Não cabe na roleta e não serve pro

Você vai ficar gorda!

Da série “o afeto não altera os fatos” ou “eu gosto de você, mas não me fode”. por Nicole Aun* Dia desses, almoço com amigos/colegas de um dos meus tantos trabalhos, gente querida, falando amenidades. Começamos a conversar sobre a fome na gravidez. Uma das mulheres contou que quando estava grávida e não sabia, tinha muita fome, e rindo, contou que um amigo em comum, de quem eu gosto muito

toda pessoa gorda é doente, certo?

não. errado. mentira. nem toda pessoa gorda é doente assim como nem toda pessoa magra é saudável. um dos mitos mais perversos é o da saúde, que permite justificar toda e qualquer forma de discriminação e violência contra a pessoa gorda em nome de um bem-estar coletivo e imaginário. vamos lá. eu sou uma mulher gorda. segundo o IMC, eu me encaixo na categoria de obesidade mórbida. e não existe

20 violências gordofóbicas-  uma pra cada quilo ‘a mais’  - que a Cleo nunca sofreu

Mas eu e outras mulheres gordas sofremos diariamente, durante toda nossa vida   De quantas pessoas ‘preocupadas com a sua saúde’ a Cleo desviou esta semana? Quantas vezes, essa semana, a Cleo foi demitida porque o chefe dela decidiu que queria contratar alguém ‘mais gostosinha’ e não gorda como ela? Quantas vezes, essa semana, a Cleo foi humilhada por homens que só queriam transar com ela se fosse escondido? Quantas

tati nascimento: princípio poético de reflexão | Especial #DiaDaVisibilidadeLésbica

poeta e editora brasiliense, fundadora da padê editorial reflete sobre narrativa lésbica, espelho e desafios  No Especial “Dia da Visibilidade Lésbica”, entrevistamos a poeta tati nascimento. Poeta, contista, compositora, editora, sócia fundadora da padê editorial, tradutora, cantora, entre outras tantas. A brasiliense nos fala sobre desafios e as batalhas pessoais na escrita literária, sobre processo criativo, sobre espelhos e caleidoscópios. tati é preta e sapatão, mas não só. tatiana nascimento

Gabyanna Negra e Gorda tem lançamento e bate-papo com autora na Livraria Africanidades

Gabriela Rocha, que vive em Oslo, na Noruega, virá ao Brasil e participará de evento em SP No próximo dia 21 de julho a escritora Gabriela Rocha lança, na Livraria Africanidades(Casa Ajeji), o livro “Gabyanna – Negra & Gorda” às 15h, com entrada gratuita. A autora vive em Oslo, na Noruega e terá uma temporada no Brasil, em que aproveitará para divulgar a obra. O livro, que pode ser considerado uma autoficção, fala sobre o sonho

10 livros que combatem a gordofobia para ler imediatamente

Antes de começar a lista, quero propor um exercício. Pare e pense: quantas personagens gordas, protagonistas e com vidas interessantes e/ou invejáveis você já encontrou em livros? Pra mudar isso, fizemos esta lista com 10 livros que se você ainda não leu, vai querer ler imediatamente. Eles foram escritos por mulheres gordas, ou por mulheres que pesquisam e falam sobre corpo, alimentação e resistência. 1. A Gorda, de Isabela Figueiredo

‘Rap Plus Size’ faz show gratuito na programação do Flipoços

Duo formado por Sara Donato e Ipê se apresenta durante o Encontro de Arte da Periferia Com músicas que versam sobre corpo, feminismo e quebra de padrões, o Rap Plus Size, formado pela  dupla Sara Donato e Ipê fazem um show na 14ª edição do Festival Literário Internacional de Poços de Caldas, o Flipoços. A apresentação ocorre no dia 03 de maio às 19h30 na Arena Cultural e é parte

Curso online 'meu corpo, minha biografia'

“Meu corpo, minha biografia”  O quanto nosso corpo é responsável pela nossa história? Como nossos movimentos e nosso corpo influenciam na nossa prática de escrita? Como os corpos aparecem e são tratados na literatura contemporânea? Como os corpos das mulheres são retratados? Como é fazer literatura a partir do corpo? Existe escrita curativa para este ponto de vista? Este curso apresenta formas de lidar com corpos, especialmente os gordos e

FOME: o soco no estômago dado pela escrita da gorda Roxane Gay

Livro de norte-americana reconstrói a biografia do próprio corpo e coloca o dedo na ferida da gordofobia  por Jéssica Balbino* Não tem outro jeito de fazer a resenha do livro FOME: uma autobiografia do (meu) corpo, da Roxane Gay  (Globo Livros, 290 páginas) sem ser de uma forma pessoal. O livro apareceu para mim, na timeline, como tantos outros, mas me chamou a atenção imediatamente: que livro é esse que fala sobre