Livraria Africanidades celebra 7 anos com ‘Okupação Poesia Preta’ no Instagram

Durante 4 dias, poetas de diferentes estados são convidadas a declamar no perfil do empreendimento

Neste mês de dezembro a Livraria Africanidades – primeira especializada em literatura negra no país – completa 7 anos e, para celebrar, a empreendedora do espaço e também bibliotecária Ketty Valencio organizou a ‘Okupação Poesia Preta’ no Instagram da livraria, com 4 poetas de 4 diferentes estados em 4 atos poéticos, durante 4 dias. O evento é totalmente online e começa no próximo domingo (13).

A abertura acontece no domingo (13) às 19h com a poeta Eliane Marques, do Rio Grande do Sul. Na segunda-feira (14), às 19h, quem se apresenta é Elaiô Vavío, do Rio de Janeiro, na terça-feira (15) às 19h, é a vez de Nanda Fer Pimenta, do Distrito Federal e, encerrando os encontros, na quarta-feira (16), quem se apresenta é Borblue, do Pará, também às 19h.

De acordo com Ketty Valencio, os encontros terão cerca de 40 minutos de duração e contarão com apenas uma pergunta, feita por ela. No restante do tempo, as artistas estarão livres para declamar poemas durante toda live, valorizando o formato de oralidade ou spoken.

Questionada sobre a importância do evento, Ketty lembra que é algo simbólico, mas que marca o ciclo.

“É algo simples e pequeno, mas que marca esse ciclo de 7 anos da livraria. Estamos num ano atípico e não conseguimos fazer uma comemoração presencial, para podermos nos abraçar e nos olharmos nos olhos, mas vamos usar a tecnologia a nosso favor”, disse.

Conheça um pouco das convidadas

13.12 às 19h
Eliane Marques

Poeta, ensaísta, editora, curadora da Escola da Poesia e do projeto orísun oro, que visa a divulgação da obra poética de mulheres negras da América Latina e da África. Publicou “Relicário” (Grupo Cero, 2009), “e se alguém o pano” (Escola de Poesia 2015), que ganhou o Prêmio Açorianos na categoria Poema, em 2016, “o poço das marianas” (Escola de Poesia 2020) e “Pregão de Marimorena”, da poeta afro-uruguaia Virginia Brinds de Salas (tradução – editora Figuras de Linguagem – 2020). Com outras autoras publicou “Arado de palavras” (Grupo Cero, 2008) e “Blasfêmeas: mulheres de palavras” (Casa Verde 2016). Especialista em Economia, Política e Direitos Fundamentais. Mestre em Direito Público. Auditora Pública Externa do TCE/RS.

 

 

14.12 às 19h

Elaiô Vavío

Uma mulher Trans Negra, moradora do Morro do Palácio, em Niterói. Redutora de Danos pela rede de saúde mental pública da cidade e também Terapeuta Holística, atendendo atualmente no morro onde mora. Artista, cantora, compositora e poetisa. Atualmente atuando na área do rap, com dois trabalhos lançados em todas as plataformas digitais. Ativista atuante pelo movimento “Todes Pelas Travas”. É uma pessoa de religião de Matriz Africana, resistindo em todos os espaços cisheteronormativos.

 

 

15.12 às 19h
Nanda Fer Pimenta

Mora em São Sebastião (DF), é poeta e atriz. Estudante de designer de moda. Vinda de uma família cheia de baianidade, o que não falta é amor, mas dentro desse amor já passou por diversas situações e momentos que só fizeram com que valorizasse ainda mais esse sentimento. Filha de Railda Isabel da Conceição Ramos, a poeta Nanda Fer Pimenta começou a escrever e recitar aos 17 anos em eventos culturais e escolas. Aos poucos, seu nome foi ganhando diversos mundos em diversas RA´s (regiões administrativas) no DF, sempre bem acolhida. Protagonista da sua história, tem em sua linha do tempo o livro “Sangue”, lançado pela padê editorial, e com o mesmo arrematou no ano de 2019 o prêmio “Dente de Ouro” pela feira dente. Designer, escritora e poeta, busca em seu olhar e sua escrita, enaltecer e valorizar suas raízes culturais, sua resistência e a existência enquanto mulher negra.

16.12 às 19h

Borblue

Nascide na Vila de Icoaraci (PA), trabalha com carimbó e poesia nos coletivos de Belém, praças e feiras, levando a cultura popular para que todos tenham acesso. Ministrou oficinas de carimbó no Maranhão, no Ceará, São Paulo e Rio de Janeiro, trabalhando, principalmente, com crianças e idosos. Participou de vários concursos de poesia, chegando a representar o Pará na competição nacional, em São Paulo. Faz apresentações em escolas públicas em Belém e em outros estados. Atualmente está no curso técnico de teatro na escola de Teatro e Dança da UFPA.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: