Em turnê pela Europa, Mel Duarte apresenta Mormaço em Madrid

Em turnê pela Europa, Mel Duarte apresenta Mormaço em Madrid

Depois de ministrar oficinas de poesia e se apresentar em slams, poeta faz show com o álbum de spoken word

Com o recém-lançado álbum de spoken, a poeta Mel Duarte se apresenta nesta sexta-feira (25) às 20h30 em Madrid, na Espanha, onde está desde o início da semana ministrando oficinas no Centro Internacional de Artes Vivas Naves Matadero, dentro da programação do Festival Internacional de Palavras, Ação e Sons (Flipas).

Além dela, o slammer Deinos MC, da França, também faz uma performance de spoken no festival.

Turnê pela Europa

Antes de chegar à Espanha para as oficinas com adolescentes em vulnerabilidade social, Mel Duarte este também em Portugal, onde participou de slams e fez apresentações pocket do espetáculo Mormaço.

“Temos um espaço aqui e um público para absorver coisas brasileiras, mas, há muita dificuldade, porque não temos muitas instituições brasileiras aqui, então, é preciso recorrer a institutos de outros países para viabilizar isso. Mas, todos são muito engajados em ouvir e criar espaço para a nossa arte. Os adolescentes que fazem a oficina de poesia vivem em vulnerabilidade social, mas é uma realidade absolutamente diferente da do Brasil, no entanto, há algo no comportamento que é parecido. Quanto maior a violência que eles sofrem, mas dificuldade eles sentem em por isso no papel e se expressar e isso é bem parecido com o que vivencio nas escolas em que vou no nosso país”, disse a artista.

Esta é a segunda vez que Mel Duarte está em Madrid para divulgar o próprio trabalho. Em outubro de 2018 lançou o livro “Negra, Desnuda, Cruda” (Negra, Nua, Crua) pela Ediciones Ambulantes e desde então tem divulgado a obra traduzida para o espanhol.

Saiba mais sobre o Mormaço

Com 10 faixas, o disco é uma incursão mais profunda da poeta ao universo do spoken, pouco conhecido e explorado no país, mas bastante celebrado por artistas norte-americanos de soul-jazz desde 1970, reforçando o uso da palavra em um contexto musical, apresentando uma nova vertente da poeta.

Com produção musical de Dia que já assinou discos de “Tássia Reis”, “Rimas e Melodias”, “Brisa Flow” entre outras, o disco foi gravado no C4Studio e chega com poesias sobre amor, paixão, afeto, paixão e erotismo. Além de DIA, o álbum traz músicos como Renato Taimes (arranjo de guitarra e execução), Sintia Piccin (sax e flauta), Richard Fermino (multisopros), Sivuca (percussão), Jackson Silva (baixo acústico), Weslei Rodrigo (baixo elétrico), Marcelo Soares (arranjo de cavaco, violão e execução), que dão ao trabalho todo o conceito. A única música que o DIA não assina é “Ressaca” produzida por Peter Mesquita.

Para a apresentação deste trabalho, Mel Duarte mescla, no palco, música, ritmo e poesia acompanhada por banda com direção da atriz, cantora e MC Dani Nega. Com o próprio corpo, a voz e a performance, apresenta seus poemas em um espetáculo lítero musical, que proporciona a quem assiste, uma experiência sensorial e sinestésica única.

Algumas faixas contam com participações especiais, como a das cantoras Bia Ferreira, Nina Oliveira e do Rapper Amiri e cada uma das 10 faixas será “ilustrada” por uma fotografia da baiana Helen Salomão que assina as fotos do disco “Bluesman” de Bacu Exu do Blues, transformando o Mormaço em um trabalho criativo e original que pode ser ouvido a sós, a dois ou em uma festa e foi pensado especialmente para emanar boas energias através dos poemas e dos sons ali contidos e experimentados.

A proposta deste projeto é apresentar outro lugar do trabalho de Mel Duarte, que chega agora mais versátil, alcançando o público através da oralidade, mas, desta vez, mesclando música e poesia.

Sobre a artista

Mel Duarte nasceu na primavera de 1988 em São Paulo (SP). É escritora, poeta, slammer, produtora cultural e atua com literatura desde 2006.

Publicou os livros “Fragmentos Dispersos” (2013),  “Negra Nua Crua” (2016, editora Ijumaa), “Negra Desnuda Cruda” (2018, ediciones ambulantes, Madrid, ES) e “Querem nos calar: Poemas para serem lidos em voz alta” (2019, Editora Planeta)

É integrante da coletiva Slam das Minas – SP, batalha de poesias voltada ao gênero feminino e pessoas trans.

Em 2016 Mel foi destaque no sarau de abertura da FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty) e foi a primeira mulher a vencer o Rio Poetry Slam (campeonato internacional de poesia) que acontece dentro da FLUP (Festa Literária das Periferias) no Rio de Janeiro.

Em 2017,foi convidada a representar a literatura brasileira no Festilab Taag, em Luanda, Angola.

Por sete anos, Mel Duarte também integrou o coletivo “Poetas Ambulantes”, que distribui e declama poesias pelo transporte público.

Na publicidade, já integrou o casting de campanhas como #VaiGarota, do Banco Itaú (2018), Olla (2017), Natura (2017) e Fundação Telefônica- Pense Grande (2016). Mel Duarte também já esteve no TED x Talks em 2016 e 2017. Em 2019 é poeta convidada do Circuito Sesc Arte da Palavra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *