Em ‘Síndrome do Pânico’, Dexter traça paralelo entre políticos e palhaços

Em 'Síndrome do Pânico', Dexter traça paralelo entre políticos e palhaços

Ácido, rapper lança clipe com superprodução e direção assinada por João Wainer e Bruno Miranda

Sem medo de colocar o dedo na ferida, o rapper Dexter, também conhecido como Oitavo Anjo, lançou, neste domingo (08) o clipe Síndrome do Pânico, do single de mesmo nome, lançado no último mês de junho, em parceria com o rapper LF.

Com roupas de artista circense, Dexter faz uma alusão ao momento político atual e sugere que a sociedade é habitada por palhaços diante do descaso político com o país. A abertura da música é feita com trechos de noticiários de telejornais que relatam a violência cotidiana no Brasil, incluindo também a notícia da morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Gomes em março deste ano, até hoje sem evolução no inquérito que apura o caso.

Daí, os versos seguem o mesmo tom. A produção musical é assinada por Blood.  O rapper faz também críticas a violência contra as mulheres, contra pedofilia,política, meritocracia e a polícia. O clipe tem direção de João Wainer e Bruno Miranda. Quem assina o roteiro é Thays Prado. A realização é de Damasco Filmes e Oitavo Anjo Produções. As gravações foram feitas no Circo Top.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *