Lá na Laje, no Sesc Pompeia, convida poetas que se arriscam em pichações para falar de amor e sentimento

Lá na Laje, no Sesc Pompeia, convida poetas que se arriscam em pichações para falar de amor e sentimento

Lâmia Brito e Giovanna Lima são os destaques do clube neste mês de abril; mediação e curadoria é da jornalista Jéssica Balbino

No próximo dia 18 de abril, às 19h30 o Sesc Pompeia realiza a segunda edição do projeto “Lá na laje: clube do livro sem livro” e recebe como convidadas as poetas Lâmia Brito, de São Paulo (SP), e Giovanna Lima, de Curitiba (PR). A mediação é da jornalista Jéssica Balbino, que dividiu a curadoria com a equipe de programação do Sesc Pompeia.

Com o nome “Literatura nos muros da cidade: obra permanente e a céu aberto”, a roda de conversa pretende discutir como, para além do objeto livro, a poesia pode acontecer e até que ponto ela pode ser eternizada. Arte ou crime? A pichação de frases de efeito pode ser considerada o quê?  Essas são algumas das perguntas que as convidadas abordam, já que ambas tiveram fotografias de suas pichações transformadas em virais na internet nos últimos anos.

O projeto é também um convite à literatura contemporânea e independente do Brasil, cujos protagonistas iniciaram sua escrita fora das páginas do livro. Para Soraya Idehama, técnica de programação do Sesc Pompeia, o clube nasce de um olhar da Unidade para a juventude.

“Vivem dizendo que os jovens não gostam de ler, que eles não se interessam e está aí, eles produzem e leem e essa ideia vem de uma pesquisa muito grande do Sesc em ver onde a literatura está eclodindo e ver quem são as pessoas que estão fazendo essa literatura. Para nós, era muito especial que fosse fora das grandes editoras para fomentar as pessoas que precisavam ser fomentadas”, destacou Soraya.

 

Conheça as convidadas da segunda edição

Lâmia Brito

Formada em Letras e natural de São Paulo. Geminiana, apaixonada por poesia e pela cultura hip-hop. Recentemente, descobriu-se também apaixonada por medicina chinesa. Usa das letras e da massoterapia como forma de cura: de si e do próximo. O livro “todas as funções de uma cicatriz” levou cinco anos para sair do corpo e ganhar as páginas.

Giovanna Lima

A redatora e poeta curitibana se arrisca para falar de amor nos muros da cidade. Com frases como “Vandalismo é não falar de amor” e “É preciso deixar o mundo menos cruel”, Zizica, como é conhecida em Curitiba, manda também recados contra o machismo por meio dos muros. Já teve a obra viralizada na internet e acredita que as páginas do livro que escreve ficam melhores a céu aberto.

Jéssica Balbino

É jornalista, pesquisadora, mestre em comunicação pela Unicamp e dirigiu o documentário ‘Pelas Margens: vozes femininas na literatura periférica’. É editora do blog Margens e autora dos livros “Traficando Conhecimento” e “Hip-Hop: A Cultura Marginal”. 

Outros encontros

O clube Lá na Laje vai acontecer na terceira semana de cada mês, todas às quartas-feiras, durante maio e junho. Em maio, os convidados são a poeta Jô Freitas e o escritor Jessé Andarilho. Ambos vão falar sobre “Narrativas literárias: precisamos mesmo de livro impresso?”. Já no encontro do mês de junho, o tema será “Entrelinhas: no tecido, nos muros e na música, uma literatura viva”, com a artista Karen Dolorez e o grupo de rap Santa Mala, da Bolívia.

 

SERVIÇO:

Lá na Laje: clube do livro sem livro

18 de abril de 2018, quarta-feira, às 19h30

Nas lajes de leitura da Biblioteca do Sesc Pompeia

Grátis. Classificação indicativa: livre.

 

Mais informações: http://bit.ly/LanaLaje2

Sesc Pompeia – Rua Clélia, 93.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *